Prédios inteligentes: como a tecnologia pode trazer liberdade para as pessoas



Grande evolução da tecnologia no mercado imobiliário traz ganho financeiro e qualidade de vida por Larissa Sant’Ana em 12 de novembro de 2020

Qual visão você tem da sua moradia ou escritório? Uma tendência do mercado é que esses espaços sejam usados como serviços, e não mais como um bem, colocando a autonomia em primeiro lugar. Com o uso da tecnologia, algumas startups estão acelerando esse processo. As soluções trazidas por três delas – a Housi, o LAR.app, e a Livance Consultórios Inteligentes – fizeram parte da discussão do painel “Prédios inteligentes: apertem os cintos, seu edifício acabou de ir para a nuvem” do Whow! Festival de Inovação 2020.

Gustavo Araujo, co-fundador da Distrito e mediador da conversa, fala um pouco sobre a mudança do entendimento imobiliário. “O mato alto do mercado é o atrito de gestão, de contratação, a mobilização que você precisa ter, que te prende no real estate, na manutenção dele. O modelo de negócio está mudando a partir do momento em que as pessoas querem ter acesso e não mais ser donas do ambiente. A grande evolução trazida pela tecnologia nesse mercado é o ganho financeiro, de qualidade de vida e de gestão”.

O dado que comprova isso é trazido por Alexandre Frankel, CEO da Housi, uma plataforma de moradia por assinatura que permite o aluguel de apartamentos inteligentes em poucos minutos e com prazos flexíveis. “82% das pessoas que estão entrando no mercado imobiliário não querem mais comprar. Elas desejam ter acesso à casa própria, e não necessariamente compra-la, já que não estão disposta a lidar com a burocracia e ficar endividadas por anos”, afirma.

O novo “ter”

Entendendo esse movimento, a Livance Consultórios Inteligentes criou uma solução para os médicos. Entendendo que o custo de um consultório era muito alto, a staturp criou um modelo de consultório as a service. “Através de uma assinatura, entregamos uma solução completa: uma linha telefônica individual para o profissional, com a nossa secretária atendendo de forma personalizada,  um site profissional com domínio próprio, agendamento online em tempo real e uma estrutura de consultórios que entrega uma experiência incrível para o paciente”, conta Claudio Mifano, CEO e co-fundador da startup.

“Não fecha a conta para nenhum médico ter um consultório. A gente tem caso de redução de custo de 60%, 70% de profissionais que resolveram fechar os seus consultórios e migrar para a Livance. Se o médico tirar férias ou for para um congresso, ele aperta um botão e o custo de consultório dele zera. A eficiência de custo de ter um consultório com um bom padrão e uma rede de unidades a disposição, traz mobilidade e eficiência”, completa.

A mobilidade é algo que impulsiona a Housi. “A pessoa compra um imóvel e fica presa a ele, mas não sabe se amanhã o que vai mudar na vida dele, se ele vai mudar de emprego, de cidade, casar. Já não faz mais sentido as pessoas imobilizarem a vida por causa de um imóvel, é melhor usar o patrimônio para empreender, por exemplo. O imóvel é uma falsa sensação de segurança, porque se a pessoa não paga o condomínio ou o IPTU, ela perde ele. Como a moradia por assinatura, devolvemos a liberdade para as pessoas, de poder morar onde quiser, com o orçamento que tiver”, afirma Alexandre.

Já o LAR.app, uma plataforma que usa tecnologia para a gestão de condomínios, trabalha para trazer essa “liberdade” facilitando o acesso a moradia. “A inflação dos condomínios, historicamente, chega a bater 3 a 5 vezes o IPCA, na maioria das vezes quase o dobro do IGPM. Qual o sentido de isso acontecer? O valor do condomínio tem uma influência extremamente importante no preço final, seja do aluguel ou da moradia própria. Então nós somos uma administradora de condomínios que usa tecnologia em todas as nossas pontas para garantir que a gente entrega não só a melhor experiência, mas assertividade, controle e transparência. No ano passado, nenhum condomínio da LAR.app teve aumento acima da inflação e 70% não tiveram reajuste. Transformamos o condomínio de dentro, para que a experiência de moradia seja muito mais interessante”, diz Rafael Lauand, CEO e founder da startup.

Baseadas em tecnologia, as três empresas fazem o uso de dados para, cada vez mais entregar soluções que o mercado precisa e se adaptar os seus clientes. “A pandemia veio para acelerar mudanças que já vinham acontecendo. Estamos vendo a facilidade e o impacto na vida das pessoas causadas por elas”, finaliza Claudio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Post